Quem sou eu

Minha foto
Itapeva, São Paulo, Brazil
Técnico em Eletrotécnica formado pela ETE Dr. Demetrio Azevedo Junior da Fundação Paula Souza, formado em Gestão de Qualidade pela FGV Rio de Janeiro RJ.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

ATERRAMENTO ELÉTRICO.

Nesta matéria indicaremos a diferença entre terra, neutro, massa e demonstraremos três formas de aterramento. O fato é que o assunto aterramento é muito vasto e complexo, demonstraremos algumas regras básicas.
1- PARA QUE SERVE O ATERRAMENTO ELÉTRICO?
a – Proteger o usuário do equipamento das descargas atmosféricas, através da viabilização de um caminho alternativo para a terra, de descargas atmosféricas (RAIOS).
b – “Descarregar” cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas ou equipamentos para a terra.
c – Facilitar o funcionamento dos dispositivos de proteção (fusíveis, disjuntores, etc.), através da corrente desviada para a terra.
2- DEFINIÇÕES: TERRA, NEUTRO E MASSA.
Antes de mais nada é preciso conhecer como funciona o sistema elétrico de fornecimento da concessionária. Este fornecimento é feito por rede secundária que é alimentada por um transformador de energia elétrica ligada a rede primária. Este transformador alimenta a rede secundaria com três fases (A, B, C e NEUTRO COM POTENCIAL ZERO), porém devido a grande variedade de consumidores ligados à mesma rede secundária nem sempre isto ocorre, existem variações de potencial, portanto a concessionária exige que se instale uma haste de aterramento no padrão de entrada, ligado ao neutro da rede a fim de se escoar para a terra possíveis variações de potencial.
TERRA – Condutor constituído através de uma haste metálica e que, em situações normais, não deve possuir corrente elétrica circulante. (Quando houver corrente circulante esta será transitória e o aterramento está executando sua função principal que é desviar toda corrente à terra).
NEUTRO – “Condutor”, fornecido pela concessionária que tem por finalidade o “retorno” da corrente elétrica.
MASSA – Considera-se massa toda carcaça de equipamento, onde se possa fixar o condutor de aterramento. Por norma, todos equipamentos tem um condutor terra que vem identificado pelas letras PE e deve ser de cor amarela e verde.
3- TIPOS DE ATERRAMENTO - A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) possui uma norma que rege o campo de instalações elétricas em baixa tensão. Os três sistemas da NBR 5410 mais utilizados na indústria ou ligações comerciais e residenciais são:
a – Sistema TN-S :
Notem pela figura 1 que temos o secundário de um transformador ligado em Y. O neutro é aterrado logo na entrada, e levado até a carga. Paralelamente, outro condutor identificado como PE é utilizado como fio terra, e é conectado à carcaça (massa) do equipamento.
Figura 1

b – Sistema TN-C: Esse sistema, o fio terra e o neutro são constituídos pelo mesmo condutor. Dessa vez, sua identificação é PEN (e não PE, como o anterior). Podemos notar pela figura 2 que, após o neutro ser aterrado na entrada, ele próprio é ligado ao neutro e à massa do equipamento.
Figura 2


c – Sistema TT:
Figura 3


Esse sistema é o mais eficiente de todos. Na figura 3 vemos que o neutro é aterrado logo na entrada e segue (como neutro) até a carga (equipamento). A massa do equipamento é aterrada com uma haste própria, independente da haste de aterramento do neutro.
O leitor pode estar pensando: “Mas qual desses sistemas devo utilizar na prática?” Geralmente, o próprio fabricante do equipamento especifica qual sistema é melhor para sua máquina, porém como regra geral, temos :
a) Sempre que possível, optar pelo sistema TT em 1º lugar.
b) Caso, por razões operacionais e estruturais, não seja possível o sistema TT, optar pelo sistema TN-S.
c) Somente optar pelo sistema TNC em último caso, isto é, quando realmente for impossível estabelecer qualquer um dos dois sistemas anteriores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário